O Informação Virtual em 7 links – Desafio #7links

O Marcos Lemos do Ferramentas Blog sugeriu um desafio aos blogueiros leitores do seu blog, que é criar um post com 7 links, separados em categorias diferentes, que deem uma ideia daquilo que a gente publica nos nossos blogs ou lê em outros.

Então, vamos à lista do Desafio #7links do Informação Virtual:

Primeiro post do Informação Virtual – Tecnologias de ontem e de hoje.

Este post, que na verdade são 4 fotos, foi criado quando o Informação Virtual ainda estava no WordPress.com, ou seja, ainda não tinha hospedagem própria. Nele eu quis mostrar, através de imagens, o passado e o presente da tecnologia. Apesar de ser um post bastante simples, é um dos que eu mais gosto.

O post que eu mais gostei de escrever – A pobreza no Brasil é cultural

Gostei de escrever muitos outros posts, mas este me chamou a atenção pelo fato de ser um desabafo meu, que cansei de ouvir as pessoas reclamando de tudo e jogando a culpa das suas incapacidades nos outros, mas não fazem nada para melhorar a situação. O post surgiu a partir de um episódio lamentável que aconteceu e que me deixou bastante revoltado.

Um post que gerou um bom debate –

Esta campanha foi originalmente idealizada pelo Gustavo Freitas do GF Soluções, que na época me chamou para ajudá-lo. Criei então os selos e banners da campanha e dei alguns palpites no texto. A campanha gerou um grande debate, não só aqui no Informação Virtual, mas em todos os blogs em que ela foi divulgada, sendo inclusive publicada no site do Ministério da Cultura.

Um artigo de outro blog que eu gostaria de ter escrito – Mapa de ideias – Gerando conteúdo ilimitado para seu blog

Sou um leitor assíduo de blogs, e já li vários posts geniais que eu gostaria de ter escrito. Mas o “Mapa de ideias”, do Marcos Lemos, foi um dos textos mais legais que eu já li. O “Mapa de ideias” é um métodos fantástico para criação de conteúdo para blogs, mas que pode ser usado para outras coisas, como por exemplo, textos jornalísticos, livros, produção de vídeo, etc. Em apenas um post o Marcos Lemos conseguiu dar um curso completo de produção de conteúdo. Este é um artigo que eu gostaria muito de ter escrito.

Meu artigo mais útil –

Bom, acredito que este tenha sido um post que ajudou bastante gente a criar seus blogs na plataforma WordPress. Criei ele na forma de vídeo-aula, e está bastante didático. Pretendo criar em breve um mais completo, com mais informações, que será publicado no Blogosfera Brasil.

Post com o melhor título –

Não sei bem se este é um título que chama muito a atenção, mas eu gostei porque ele resume muito bem o conteúdo do texto, que fala sobre o excesso de informação que temos a nossa disposição e ao mesmo tempo as dúvidas que temos do que é real ou não.

Um post que eu gostaria que tivesse chamado mais a atenção – Compre com segurança pela Internet

Este foi um post que criei como parte do Movimento Blog Voluntário de 2009. Foi um artigo que criei com bastante cuidado e atenção e que gostaria que tivesse sido mais lido e comentado, principalmente por se tratar de um assunto tão importante, pois fala sobre os cuidados que devemos ter ao comprarmos pela rede.

Então, estes são os 7 links que, de certa forma, resumem um pouco o Informação Virtual e aquilo que eu gosto de escrever ou ler.

Espero que tenha gostado. Aguardo seu comentário! ;)



Novidade na Blogosfera: Blogcast – Um bate-papo entre blogueiros

Esta semana eu participei de um Podcast com uma galera muito legal. Veja neste post do Blogosfera Brasil: Bate-papo com blogueiros no primeiro BlogCast do Ferramentas Blog

A ideia deu tão certo que o idealizador do Podcast, Marcos Lemos do Ferramentas Blog, resolveu criar um espaço específico chamado “Blogcast, um bate-papo entre blogueiros“.

Segundo Marcos o programa será semanal e contará com a presença de blogueiros convidados, onde serão discutidos temas relacionados com a blogosfera e redes sociais, como monetização, SEO, ferramentas, tendências, dicas, etc.

O design exclusivo do Blogcast foi criado pela Juliana Sardinha do Dicas Blogger.

Para conferir e só acessar: http://www.blogcast.ferramentasblog.com



POLITICAVOZ: Que tal falar de política?

O carnaval acabou. A Copa também. Que desculpa ainda temos para não falar de política? Eu tenho várias desculpas, mesmo assim ainda tento. Eu sei que o assunto é odiado por quase todos, mas ao mesmo tempo tenho quase certeza que dá para fazer de um assunto tão sério, um assunto interessante e divertido. É o milagre das palavras, creio.

E acabando a Copa, acabando o carnaval; o que sobra é a prosaica eleição para presidente. E, essa coisa sem importância, deveria ser encarada com mais consideração; com responsabilidade. Mas que papo chato, não? Que assinem o cheque, então! Sabendo valor, data e nominal. Mas sem saber para que serve, onde vai ser gasto.

Sempre encarei a política dessa forma: é um cheque que eu dou para o sujeito gastar como bem entende. É para isso que servem os governantes, dirigir nosso dinheiro. Gastarem onde bem sabem (para o bem o para p mal). Investirem onde acham interessante. E blábláblá. É o que achamos disso tudo: a terrível obrigação de discutir política é um tormento para todos nós, eu tenho certeza.

E o que achamos terrível, meio bagunçado; e muitas vezes norteado por negócios escusos; é exatamente dali que sai nosso sustento; o nosso futuro. Vão me dizer os mais estressados: o sustento sai do meu emprego e coisa e tal. Muito bem, mas esse pessoal que entra no governo pode nem saber como ajudar; mas são mestres em atrapalhar nossa vida. Que a escolha seja por aquele que atrapalhe menos.

E como vamos saber quem é o melhor, ou quem irá me prejudicar menos? Pelo projeto. Pelas propostas. Pelas discussões durante a campanha. É fácil, claro e simples. Pena que muitas vezes eles não dizem exatamente o que querem dizer; e mesmo em um documento oficial da promessa, ás vezes, nos é entregue por uma rubrica sem atenção, ou um texto colado de falatório de palanque.

Portanto, não é tão fácil como parece.

A questão em diante é: temos agora um auxiliar, uma ferramenta fantástica que nos ajudará a pesquisar, ler, conhecer; se informar. Ferramenta que no Brasil ainda é bem pequena para essa função, mas altamente barulhenta. A vuvuzela das eleições desses milhões de cliques, papos e fóruns espalhados pela onda virtual.

Candidato dizendo o que come, onde dorme e com quem acorda. Candidato a presidente falando do jogo do domingo à tarde; do prato preferido. Candidato à vice falando o que acha e o que tem certeza, para milhões de “interespectadores”. O que é verdade, e o que é mentira é só uma questão de quem sustenta a evidência.

A política ficou mais leve com a internet e com essa aproximação entre candidato e povo. O povo que parece não se interessar muito por política, acaba acompanhando os políticos como ídolos e fãs, como bons amigos que se interessam pelas idéias um dos outros.

Acredito que seja possível tornar a política menos dramática para todos nós. E quem sabe, num futuro, discutir sobre candidatos com a mesma propriedade que fazemos sobre jogadores de futebol ou alegoria e samba enredo.

Enfim, esses dois assuntos são coisa do passado. Que venha o futuro, então.

.

.



10 Apps para deixar seu smartphone Nokia mais “smart”

Depois que eu comprei meu Nokia 5530 Music Express, um smartphone relativamente simples se comparado a outros modelos disponíveis no mercado, descobri porque tanta gente adora esse tipo de gadget. Eu mesmo não sei como consegui viver tanto tempo sem ele! (rs.)

O número de aplicativos para smartphones Nokia não é tão grande quanto para o iPhone ou aparelhos com o sistema Android, mas dá para encontrar coisas bem legais na loja oficial da empresa, a Ovi Loja, ou dando uma garimpada na internet.

Testei vários aplicativos durante 2 meses. De todos os que estão instalados no meu aparelho escolhi 10 para compartilhar com vocês.

  • NetQin Mobile Anti-virus
    • NetQin Anti-virus - Tela inicialComo nem os dispositivos móveis estão a salvo do ataque das pragas virtuais, um anti-virus é um app obrigatório no seu aparelho.
      O NetQin cumpre muito bem o seu papel, protegendo seu smartphone contra vírus e também contra invasão, já que conta com um bom firewall. Não bastassem todas essas funcionalidades, o NetQin Mobile Anti-virus é totalmente gratuito. http://www.netqin.com/en/antivirus
  • NetQin Mobile Guard
    • NetQin Mobile GuardOutro app bem legal da NetQin é o Mobile Guard, uma espécie de caixa de ferramentas para manter seu smartphone sempre saudável com a promessa de aumentar seu desempenho, remover arquivos inúteis, diminuir o consumo de energia, bloquear sites nocivos e protegê-lo de malware. O NetQin Mobile Guard também é grátis. http://www.netqin.com/en/guard
  • AccuWeather
    • AccuWeatherUm dos melhores aplicativos para previsão do tempo que eu encontrei. Além do seu belo visual, o aplicativo é capaz de mostrar a previsão de praticamente qualquer cidade do mundo com muitas informações úteis. http://store.ovi.com/content/10512
  • QuickOffice
    • QuickOfficeCom este app você poderá visualizar, editar e até criar arquivos do Word, Excel e PowerPoint. É claro que você não deve esperar muito conforto nestas operações, já que os smartphones em geral possuem telas e teclados muito pequenos. Mas este app é uma mão na roda se você precisar de um desses programas e não tiver por perto um PC ou notebook. O aplicativo é pago, cerca de R$25,00, e a versão para testes gratuita é válida por 7 dias. http://www.quickoffice.com
  • Shazam
    • ShazamSabe quando toca aquela música na rádio e você não sabe, ou não lembra, o nome dela nem o nome do artista ou da banda? O Shazam é um aplicativo capaz de ouvir o trecho da música que está tocando e depois ir buscar informações sobre ela num enorme banco de dados. Como resposta você terá, na maioria das vezes, o nome da música, o artista ou banda, o álbum e a foto da capa. O aplicativo também pode passar informações sobre a discografia, vídeos no YouTube e oferece a possibilidade de você comprar a música ou o álbum diretamente pelo seu aparelho. Na versão gratuita as funcionalidades são reduzidas e você só pode fazer o reconhecimento de 5 músicas por mês. Para aproveitar todas as funcionalidades sem limites de reconhecimento você deverá pagar U$4.99 pela licença. http://www.shazam.com
  • Snaptu
    • Este prático aplicativo reúne as principais ferramentas da Web 2.0, como o Facebook, Twitter, Flickr, Orkut, Google, Wikipédia, entre outras. Além disso, ele também dá acesso a sites e blogs famosos, como o Mashable, Gizmodo, TechCrunch, BBC, Reuters, etc.
      Considero este aplicativo como um dos mais úteis instalados no meu aparelho, pois com ele tenho acesso a praticamente tudo o que preciso no que diz respeito à internet móvel, com a vantagem de ser gratuito. http://www.snaptu.com
  • Gravity
    • Um excelente, talvez o melhor, cliente para Twitter disponível hoje em dia para smartphones Nokia. Resolvi testá-lo por indicação do Marcos Lemos (@hordones) e do Caio Lauisi (@CaioLausi) que disseram gostar muito deste app.
      Realmente me surpreendi com seus recursos, facilidade de uso e design.
      Administrar várias contas do Twitter ao mesmo tempo, enviar fotos diretamente para o Twitpic, abrir links que foram inseridos nos tweets, são algumas das várias funcionalidades deste incrível app. Você pode testar o aplicativo gratuitamente por 10 dias e depois, se quiser continuar a utilizá-lo, deverá adquirir a licença que custa em torno de R$18,00. http://mobileways.de/products/gravity
  • Random
    • Está sem criatividade para escolher os números premiados da Mega-Sena? Então o Random é o aplicativo ideal pra você!
      Brincadeiras a parte, a única função deste aplicativo é gerar números aleatórios. Você apenas define o número inicial, o número final e ele gera um número qualquer neste intervalo.
      Aí você deve estar pensando: – Certo, mas e qual a vantagem disso?
      Bom, além de ser um bom palpiteiro para jogos da loteria, também pode servir para você fazer um sorteio no seu site ou blog, bastando numerar os participantes da promoção, ou então, sei lá, use a criatividade! http://store.ovi.com/content/40126
  • Bright Light Touch

    • Este aplicativo serve para você acionar o flash LED do seu smartphone transformando-o numa prática lanterna.
      Talvez você não ache isso muito útil, mas uma hora ou outra você vai precisar.
      Eu, por exemplo, já utilizei este recurso algumas vezes, procurando coisas embaixo do banco do carro, arrumando o meu PC, procurando velas quando faltou luz em casa, procurando coisas nas gavetas, etc.
      Nem sempre temos uma lanterna por perto, no entanto o smartphone está quase sempre conosco. http://store.ovi.com/content/12867
  • ScreenSnap
    • A função deste aplicativo é simplesmente fazer capturas de tela (print screen) do seu dispositivo. Uma função muito útil se você quiser, por exemplo, criar um tutorial sobre um determinado aplicativo.
      Neste post eu usei o ScreenSnap para capturar as telas dos aplicativos citados. http://store.ovi.com/content/1540

Bom, estas foram as minhas dicas de aplicativos para smartphones Nokia. Se você conhece algum outro aplicativo legal e quiser compartilhar com os leitores do Informação Virtual, é só deixar o seu comentário!



DESCONECTADO: E agora, José? O que vamos fazer?

E agora, José? A festa acabou. Quer dizer, não teve festa nenhuma, somente trabalho. Como disse o próprio treinador, lá estavam todos comprometidos. Não duvido disso, mas agora a luz se apagou e o povo sumiu. O povo que estava na rua, de cara pintada. Sempre pintamos a cara por motivos heróicos. Não era uma torcida muito convincente, mas a seleção também não era. Todos sabiam que a campanha do Brasil na África não seria brilhante: não suspeitávamos que seria ridícula. E a noite esfriou. O povo se entristeceu, mas e daí? Outro dia é de trabalho (apesar do jogo ter sido uma Sexta). E agora, José?

A Copa continua. E a jabulani continua. E as terríveis vuvuzelas continuam. Sabemos que elas continuarão até o apito final do último jogo. Estaremos então pensando na próxima Copa, quando seremos anfitriões. Dessa vez não deu, dessa vez; e mais uma vez, fizemos feio. Pelo menos é essa a sensação de qualquer brasileiro. A vitória ou nada. Não existe festa para a seleção perdedora, como fizeram os argentinos. Nem medalha como fizeram os paraguaios. Nem orgulho, como fizeram quase todas as seleções desclassificadas. Nós sempre queremos mais, pois sabemos que podemos mais.

E você que é sem nome, que zomba dos outros, que faz versos, que ama. Você protesta? Sim. Protestamos sempre. Sabíamos que alguma coisa no banco de reservas do Brasil estava errado. Sabíamos que não tínhamos muitas opções para, quando estivéssemos perdendo, houvesse uma revolução em campo. Protestamos contra tudo isso. Mas Dunga fez o que achou melhor, e não era o que tinha de melhor.

A noite esfriou, o dia não veio, o bonde não veio, o riso não veio, não veio a utopia. O Brasil perdeu um jogo que ninguém admitiria. Se ainda fosse a Alemanha (que acaba de perder para a Espanha). Se fosse ainda uma Argentina (a dor ia ser maior, mas sabíamos se tratar de um dos maiores rivais). Mas da Holanda? Pois é. Holanda que já foi laranja, mas não é mais. Está na final e pode ser campeã.

O papo aqui é do Brasil, voltemos. Sozinho no escuro, qual bicho-do-mato, e agora José? Perdemos e eu só resolvi escrever agora a nossa derrota para não perder-me em bobagens por causa da ilusão. Ilusão é pior parceira da escrita, pior ainda é do futebol. Mas, mesmo assim criamos a ilusão de que somos os melhores, e sempre seremos; é que era fácil ganhar da Coréia do Norte (Não foi), da Costa do Marfim (Não foi); da Argentina, Holanda, Alemanha e resto do mundo. Não somos os melhores, mas podemos ser.

Então, nos resta pensar na próxima Copa. Preparar a rua, gritar o hino; bater no peito. Resmungar os convocados; decidir pelos titulares, lamentar pelos reservas. O futebol é aquele romance secreto que nos faz bem. Então que ele venha mais uma vez, mesmo com tanta coisa errada; com tantos erros. E sem cavalo preto, que fuja a galope; corrermos como o poeta para pensar na vitória, mesmo que não venha.

E o futuro, tão próximo. Tão distante. E agora, José? O que vamos fazer para esperar?

Obs.: Obrigado pela grande contribuição do poema de Carlos Drummond neste pequeno texto improvisado.

Texto no http://patativadabola.blogspot.com



Eu odeio meu chefe!



Internet, um perigo….

No post “Computador, a máquina que mudou o mundo” eu falei um pouco sobre como os computadores revolucionaram as coisas de modo geral. Neste post vou falar sobre o que a internet pode nos trazer de bom e de ruim, além de contar um pouco sobre a minha vida, onde foi influenciada diretamente pelo computador e reforçado com a chegada da internet.

A internet é sensacional, antes que pensem que eu quero criticar, mas é como uma coca-cola bem gelada (wtf??), não se deve exagerar, pois pode acabar dependente. O uso demasiado da internet pode ser tão ruim quanto usar drogas, pois é viciante!!!!!

Veja abaixo o vídeo que retrata tudo o que eu quero dizer em relação a internet:

Eu me considero viciado, mas meu vício não é tão grande quanto o do manolo do vídeo. Eu realmente fico horas e horas no computador e, inclusive, acho que o fato de eu ter adquirido este hábito, me prejudiquei na minha formação social. Apesar do prejuízo, acredito que a internet (ou computador, whatever) me ajudou a crescer culturalmente e me apresentou a este mundo mágico da informática, 01010110010101010101, hoje o meu sonho é ser um grande profissional da área de TI.

Quando digo crescer culturalmente, é ao fato de na internet o mundo todo estar conectado, posso ler e aprender diversas coisas que na escola não ensinam, além, é claro de poder me divertir. Graças a Internet, hoje acredito que eu já tenho uma grande visão do meu futuro e do que eu quero pra mim.

Então se você é um viciado em computador, sobretudo, passa o dia inteiro navegando em blogs, redes sociais, sites de fofocas (hmm…), fica a dica: Não extrapole, use a internet de forma útil e relevante, para crescer e aprender coisas novas, pois ela é uma mina de ouro!!

Siga-me no Twitter!!!

Twitter do Pedro Henrique



DESCONECTADO: Para, oh!

Não sei nada sobre as novas regras gramaticais. Na verdade, sabia bem pouco da antiga. Mas me perguntaram, como se eu fosse especialista no assunto, o que eu achava das alterações em relação à acentuação. Acabaram os acentos? Mais ou menos. Pensei: e todas proparoxítonas que são acentuadas? Perdi mais de duas horas estudando essas regras para serem assim, evaporadas? Calma. Mudanças não foram drásticas.

Acabou mesmo o diferencial. Pelo e pelo. E se arrepia e se come? Vale o contexto. E tem gente que não gosta de contexto. Interpretação de texto não é o forte de muita gente. Texto é texto, oras. É lendo que se entende. Então, o diferencial que nos indicava o que era a palavra, agora depende do conjunto. Algumas palavras perderam sua identidade, coitadas. Não são tão mais diferentes.

Como disse, nem vou discutir a validade disso tudo. Não sou um gramático, nem qualquer coisa. Sou curioso. E curioso se mete em cada enrascada. Eu paro essas dúvidas, se me disser que para. Para e para. Quando é que paro? Mais um acento que foi para o beleléu. Ninguém notou a diferença?. Aliás, é bem possível que mais da metade da gramática fique ignorada, só para constar.

A verdade é que nossa língua tem tantas regras, que qualquer delas que se retire, à força; é bem vista. Que acabem também os pontos, as vírgulas; as interrogações. Seremos um povo sem dúvida. Coloque nessa cesta, na sexta; o povo de língua igual. Todos nós beberemos cerveja para comemorar como somos tão irmãos. Logo mais, que se rompam os “esses” e os “ces”. São tão irmãos, tão preciosamente iguais; que podemos mesmo ficar com um deles. Cesta-feira, cesta de roupa. Logo não teremos mais erros gramaticais.

Mas, se eu não entendo bem, qual o motivo do pitaco? Sei lá. Vai ver deveria mesmo entender a razão das mudanças (que eu não sei quais são). Comprar os livros que já li (que são poucos), mas que dessa vez venha o carimbo “de acordo com a nova regra gramatical”. Quantas páginas nós vamos economizar? Não haverá economia, mas tenho certeza que esse novo livro será vendido em qualquer sebo do mundo. Todos nos seremos um só povo, uma só palavra. A acentuação foi um insucesso desse século, assim como a concordância.

Odeio o desse e deste. Não sei nunca a diferença. Um para perto, outro para longe. É isso? Sei lá. Para novamente a dúvida, paro novamente as questões indecifráveis. E então, teremos um dia o fim das concordâncias? Nominal, verbal. E o “agente”, virará febre em outras terras que falariam do tupiniquim como se tupiniquim fossem? Senão ou se não. Dúvida e mais dúvidas. Acabem logo com todos os livros. Que joguem na fogueira toda essa velharia. A língua precisa de um “plus”. Precisa se reorganizar nessa nova era digital. Logo estaremos nos comunicando com o olhar. Escampo da escrita, o olhar.

E a careta será o nosso grande aliado. Acentuação? Ascender? Vamos subir nesse morro criado por regras estranhas. Vamos dizer como e quando. Não haverá dúvidas. Nem mais certezas. Às vezes é melhor viver num mundo de incertezas. Ou vão dizer que não seria melhor acabar com as aulas de português? Por decreto temos o ajuste da língua. Mas esse acerto é feito pelos livros ou para os livros?



DESCONECTADO: Copa do Mundo? Já?

Esse é um recado para os “novos” torcedores do Brasil. Aquele pessoal que se reúne na calçada, em dia de Copa do Mundo, coloca a televisão na frente do portão da garagem, e chama toda vizinhança. Esse recado é para aqueles que “gostam de futebol” somente quando o Brasil joga. Ou para quem não gosta de futebol, mas acompanha todo mundo, que, no feriado do jogo do Brasil, entra nos botecos, para discutir futebol.

Enfim chegamos. A Copa do Mundo está ai, bem perto. Semana de abertura entre a anfitriã África e o bom time do México. Logo depois, Uruguai e França; e assim por diante, nos quarenta e oito jogos da primeira fase. No total, exatamente trinta dias de Copa. Para quem gosta, é o maior espetáculo. Para quem odeia futebol, a overdose.

Das trinta e duas seleções, oito são capazes de levantar a taça. Todo o resto com as características de coadjuvante. Algumas dessas seleções até ganharão um apelido interessante, como aconteceu com a Holanda com o carrossel. Ou então os campeões morais, como no caso do Brasil em 1982. Dessas oito seleções, cinco são presenças certas, se não houver nenhuma zebra: Inglaterra, Holanda, Brasil, Argentina e Alemanha.

Uma das seleções mais queridas é a brasileira. A África do Sul é marcada pela singularidade com o Brasil, em vários aspectos sociais, culturais e econômicos. Eles respeitam nosso jeito moleque de jogar a bola, o futebol arte. Eles esperam isso por aqueles lados. O mundo inteiro espera isso. E se é para o Brasil levantar a taça, que faça com maestria.

Mas isso não vai acontecer. Curiosamente, se o Brasil for campeão; será por um futebol que não tem característica nenhuma com esse futebol que todos esperam. É um futebol burocrático. Talvez digam pragmático. Futebol de resultado, de força. Futebol que preza a marcação. Futebol com a cara do Dunga, que tão bem representou o futebol competitivo de 94, mas um futebol muito chato.

Ouvi uma vez: Esse negócio de futebol bonito nós deixaremos para os amistosos, na Copa o que interessa é levantar a taça. Não sei quem disse, mas disse uma meia verdade. E meia verdade, é quase uma meia mentira, filosofando. É claro que eu quero ver o Brasil campeão, mas gostaria de ver um Brasil brasileiro, não um Brasil europeu, nem argentino; quase italiano.

Então, como eu ia dizendo, esse recado é para quem vê futebol apenas na Copa. Desse pessoal que se veste de verde e amarelo, com aqueles óculos ridículos. Para vocês, pensem o seguinte: Aquele futebol alegre acabou! Verão uma seleção competitiva, que jogará um futebol por resultados. Vejam vocês ainda, haverá pouco o que gritar: olé será uma raridade. Mais ainda: talvez um placar gigantesco de três gols de diferença ocorrerá apenas na primeira fase, por sorte. O resto da competição será de poucos gols.

Vocês na rua, tão alegres como aquele povo que comemora a Copa, não tenham medo. É assim mesmo que acontece. O futebol tem algumas explicações interessantes, gostos subjetivos. O que é melhor para um pode não ser para o outro. Tem gente que prefere ganhar de qualquer jeito. Os italianos nunca mostraram um futebol de encantar, mas sempre dão medo.

Assim, teremos uma Copa sofrível para esse pessoal que pega o bonde no meio do caminho, pois não verão nada mesmo de interessante na seleção. Para quem gosta de futebol, teremos a experiência sobre o pragmatismo no futebol, que nasceu em 1982, com a morte de uma das maiores seleções do mundo, mas que parece não ter hora de acabar.

Texto Original (http://patativadabola.blogspot.com)



O que é Rede Social?

O que é Rede Social?



  • Divulgue seu Blog


    Colmeia: O melhor dos blogs  Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!
    Galeria de Links  
  • Amigos do Informação Virtual

  • Este blog é hospedado por:

  • Powered by WordPress | Visit www.iFreeCellPhones.com for Free Cell Phones. | Thanks to Palm Pre Blog, Find Best CD Rates and Fat burning furnace

    Canonical URL by SEO No Duplicate WordPress Plugin

    Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

    Creative Commons License | Web Analytics | Free Page Rank Tool