Archive for março, 2010

POLITICAVOZ: Alice no país das maravilhas

Enfim José, você apareceu. O pessoal estava ficando com saudade de você. Vai ou não sair candidato? Esse José, sempre bem humorado. A concorrência anda brava, chegando mais rápido que se imagina. A Dilma está ai do lado. Se espirrar, passa. Um espirro é a diferença de vocês. E não é espirro epidêmico, mortal como a do porco; mas uma gripe normal. Um espirrinho.

Dilma e José fazendo campanha de conto de fadas. Parece que tudo está tão bem que nem é preciso dizer nada. Aliás, pelas regras não se pode dizer nada mesmo. Nem discussão, nem plano de governo; nadinha. Nós, meros eleitores, ficamos apenas com a suposição. Mas para falar a verdade, não queremos mesmo os detalhes. A maioria escolherá seu candidato depois que muita água passar essa ponte. Ponte, viadutos, rodovias, metrô; num ato acelerado do crescimento. Esses candidatos que ainda não são candidatos querendo mesmo é reconstruir seu território.

No meio dessa fábula sem animais, tem gente agindo como se fosse. José ficou preocupado: seus aliados andam metendo os pés pelas mãos. O Gilberto ficou fora do castelo por alguns dias, dizem que tudo estava irregular. Mas resolveram isso agora que as águas de março estão acabando? Deixa o homem trabalhar!! Slogan profético que marcará sua estadia. Gilberto bem próximo de nós, em São Paulo; que está bem próximo do José. Gilberto tirará pontos de José assim como Inácio dará pontos para Dilma?

E assim vamos caminhando. Sem saber direito nosso futuro. Não precisamos pensar no futuro, tudo está tão calmo e maravilhoso. Inácio vai acabar com a guerra santa, a guerra do outro lado do mundo; que incomoda todo mundo há várias décadas. Inácio prometeu que iria acabar com a pobreza: tem conseguido bons resultados em suas esperanças, pelo menos para mais de setenta por cento de nós, aqui no chão. Seus índices são surpreendentes!

José tem por princípio não falar mal do governo atual. Não é maluco de atirar pedra na vidraça. Vai dizer que melhorará ainda mais o que já foi feito por Inácio, que tem poder e conhecimento para isso. Dilma será atacada por José como “aquela que caiu de pára-quedas, que não tem experiência e o currículo sem doutorado”. Dilma vai dizer que sabe bem fazer, pois está do lado de gente que faz. Esses slogans marcam nossa trajetória! Gente que faz é de outro candidato, mas vai valer para os dois presidenciáveis.

Assim, como o aparecimento ainda modesto de José, parece mesmo que o ringue está completo. Dizem que José demorou em assumir a candidatura, e que Dilma precisava mesmo aparecer antes do tempo como “amiga e escolhida do Lula”. Pois nesse jogo político são duas características distintas, mas como o mesmo objetivo: não irritar a turma que votaria no Inácio, se isso for possível.

Então a briga será entre candidato e plataforma. Entre experiência política e experiência no governo. Vamos escolher os dois “bem humorados” presidenciáveis, daquele que melhor desenvolver a simpatia:

Algo que não se compra tão facilmente com bolsa família.

As gravadoras e o medo da Internet

Hoje de estava fazendo minha leitura matutina diária quando li que a gravadora Sony havia impedido a cantora Beyoncé de divulgar seus videoclipes no site Youtube. Essa é mais uma ação desesperada da indústria dos copyright contra o fenômeno de compartilhamento que a Internet e mais especificamente o ciberespaço vem demonstrando ser.

A indústria fonográfica faturou por anos e anos em cima da chamada lei de direitos autorais. Ela que surgiu como uma proteção a propriedade intelectual, ou seja, ao autor de uma obra e foi, ao longo dos anos, se transformando em uma fonte de renda o que, muitas vezes, fez dos criadores vítimas de gravadoras, editoras, emissoras de televisão e etc.

Isso porque o artista até então dono de sua obra, viu se abrigado a vendê-la a tais indústrias para conseguir obter algum sucesso, ou até mesmo lucros sobre o que produziu. Ninguém aqui é ingênuo de achar que um músico toca na rádio por sua qualidade ou é? Se assim fosse, Chico Buarque duraria nas paradas até hoje. Na verdade foi assim que vimos artistas sendo moldados como um produto na prateleira de um supermercado.

A lógica de mercado é a seguinte: a gravadora compra os direitos autorais sobre uma obra(não conhecida, até então) e paga barato por ela. Aí ela pega tal obra, paga um “jabá” e faz com que isso “estoure” nas paradas lucrando tudo o que tiver direito em cima do produto previamente comprado. Nenhuma novidade, nada que fuja dos padrões capitalistas. Só que não estamos falando de um produto qualquer: é arte, envolve valores acima dos financeiros: culturais e sociais.

A Internet está quebrando este cenário ao possibilitar a divulgação de artistas, pricipalmente, na música sem que as gravadoras façam a intermediação, mas não é somente isso. Sabemos que a rede foi criada sob o vértice do COMPARTILHAMENTO e isso não seria diferente na música. As pessoas trocam músicas, fazem downloads, assistem videoclipes, e procuram os artistas que lhes interessam, não somente, aqueles enlatados que tocam em rádios.

Daí que surge essas anomalias de uma MTV processando a google por uso de suas imagens no Youtube, de uma Sony proibindo os vídeos da Beyoncé. Tudo isso é uma tentativa frustrada de manter o mercado antigo, o vigente, onde artistas e público eram reféns de quem sempre tratou a arte como mercadoria.

Esses dias a Lady Gaga bateu a marca de 1 bilhão de acessos na web, será que isso ocorreria sem o Youtube? Acho que não.

Jéssica

PLUS SIZE: Uma questão de conceito

Neste segundo e atrasado post, espero que isso não me prejudique, mas ficar sem internet um final de semana inteiro é um problema. Então, gostaria de falar sobre o assunto da Moda do Plus Size, que eu já debati e rebati no blog que tenho com a Jess, o Abre Aspas.

É fatídica esta questão tão em voga desde a última São Paulo Fashion Week, mas que sempre foi assunto no mundinho da moda e já rendeu várias manifestações por parte de uns e outros estilistas mais rebeldes, ou vanguardistas, prefiro assim dizer…

Acontece que na ultima edição da SPFW a magreza e aparência nada saudável das modelos que aqui desfilaram despertaram certo incomodo em uma parte da mídia de moda que não deve nada a ninguém e, devido a repercussão nas redes de internet como blogs, twitter, facebook entre outras, não ficou despercebida e fez com que alguns bambambans se movimentassem e tomassem alguma atitude sobre este assunto.

Há muito se discute, fala-se e, reza a lenda, tomam-se algumas decisões sobre esta “ditadura da magreza”, contudo, há uma certa probabilidade de se aumentarem os manequins de 32/34 para 36/38, de se estipularem uma idade mínima para as modelos… Como se diz na internet: #mimimi. A gente senta e espera!

Acontece que na contrapartida deste assunto, toma-se fôlego e destaque uma outra moda: a famosa “Plus Size”, cuja tradução literal significa “Tamanho Grande” – entendida como a “Moda para as Gordinhas”. O “plus size”, pelo menos aqui no Brasil, tem ganhado bastante destaque nas mídias e lá fora, em paises como a Inglaterra e o Estados Unidos, vem sendo motivo de pesquisas e estudos que demonstram resultados não tão satisfatórios quanto sua efetivação.

Para algumas pesquisas, a mulher gordinha, não se identifica com a modelo plus size, ela se identifica com o padrão da modelo magra como “medida” de comparação para se enxergar como realmente é. Ou seja, quando esta mulher gordinha vê uma modelo “plus size”, ela se deprime mais, pois se sente ainda mais gorda, visto que, até a modelo plus size é mais magra que ela.

Efetivamente o termo plus size não reflete a mulher gorda como todos entendem, o conceito do plus size é de tamanho grande, como o próprio nome já diz, para a mulher maior, diferente das esquálidas e esqueléticas modelos das passarelas.

O Plus size é sinônimo de mulher gostosa, grande e saudável, daquelas que dão água na boca e daquelas que enchem uma cama, sabe? O plus size é da mulher saudável e principalmente, da mulher que está bem com o próprio corpo e que não precisa seguir nenhum padrão de beleza esteticamente manipulado ou photoshopado para estar feliz e realizada.

Entretanto, este assunto de photoshop e beleza manipulada é um assunto para um próximo post. Por hora, fico por aqui, feliz por ter como representante mundial da mulher brasileira a ubber Model Gisele Bundchen que pode não ser plus, mas antes de tudo tem as curvas de nossas brasileiras, a aparência saudável e o mais importante, a consciencia tranqüila de que o mais importante é ser feliz e estar bem consigo mesma…

TioGuh

DESCONECTADO: Fly the Flag

Sem procurar na internet, sem falar com amigos; sem usar outros meios que não seja sua cabeça: conseguiria me responder quanto tempo falta para a Copa do Mundo? Ainda mais: sabe dizer quem é o mascote da Copa do Mundo e quais as seleções classificadas? A resposta vai ser dada por uma ou duas pessoas, que gostam muito de futebol. No entanto, para a maioria das pessoas, a resposta vai ser uma cara enorme de interrogação. E por que isso está acontecendo?
.
O grande mistério dessa Copa: ninguém está muito interessado no que vai acontecer somente no meio do ano. Eu poderia dizer que a resposta é o tempo: ainda é cedo para discutirmos sobre a Copa. Mas será que essa sensação que eu tenho é a mesma sensação de outras pessoas? Não está faltando um pouco de empolgação em relação a Copa do Mundo? Digo isso, pois li várias reportagens dizendo que nem mesmo o povo sul-africano está tão entusiasmado com tudo isso que anda acontecendo. Tirando as pessoas diretamente envolvidas no evento, o restante da população ainda não vestiu a camisa da Copa.
Daqui a oitenta e cinco dias acontecerá o maior evento do futebol.
.
Outras hipóteses: estamos no meio de várias competições. Por aqui vemos a Copa Libertadores e os campeonatos regionais. Libertadores que já foi discutida diversas vezes aqui: o poder hipnótico sobre os torcedores brasileiros. O campeonato regional também é vedete, apesar de ter perdido o espaço no coração dos brasileiros nessas últimas décadas. Nem mesmo a apresentação da seleção brasileira vem rendendo os televisores ligados, o que não era esperado pelos patrocinadores.
.
A Copa vai começar e as campanhas para motivação do povo estão à todo vapor: depois de sugerir que sul-africanos usassem a camisa da seleção uma vez por semana, algo que foi ignorado pela maioria da população; agora surge o “Fly the Flag”. Conforme o jornalista Fábio Zanini, foi mais uma tentativa frustrada de colocar a Copa do Mundo no calendário Africano.
.
Por enquanto, a vitória continua sendo da mobilização do povo em relação a reforma do país. O orgulho espalhado por todos os lados é de que “conseguiram atingir as metas”. Batem no peito com satisfação dizendo “somos um país pobre, mas batalhador”. Sorriem quando percebem que os estrangeiros não irão se decepcionar com a estadia no país durante a competição.
.
Pode ser realmente que minha “empolgação” tenha contagiado minha análise. Estou tão eufórico com a Copa do Mundo como estou das eleições presidenciais de Honduras. Aliás, lá o eleito não foi muito bem aceito pela política brasileira. Será que estamos decepcionados com a África? Será que estamos decepcionados com a seleção Brasileira? Será que estamos decepcionados com o futebol? Será que estamos decepcionados de como o futebol anda sendo gerenciado? Será perdemos nossos ídolos?
Falo por mim: de tudo isso, sinto mesmo é orgulho pelo país africano.
.
E só.
.

Texto original: http://patativadabola.blogspot.com

Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre

O Festival Latino americano de Instalação de Software Livre é um evento que acontece todos os anos. É gratuito e aberto a toda a comunidade , realizado desde 2005 em diversos países da América latina, inclusive no Brasil. Para saber se sua cidade vai ter uma Flisol clique aqui

O Foco do Evento é a instalação de Software Livre nos computadores dos usuários, mas sempre tem umas oficinas e palestras.

Veja abaixo o Vídeo da Flisol-DF de 2009:




Novidade: mais uma obra póstuma de Renato Russo

Ontem, no fim da tarde, pipocou em diversos sites o lançamento de mais um CD póstumo do Renato Russo. Agora ele será composto de Duetos entre o líder da legião e diversos artistas. O que mais me impressiona nesta notícia é que eles não cansam, a gravadora que detém direitos autorais sobre a obra do Renato não pára de lançar coisas do artista. Nisso tudo a qualidade vai se esvaindo, eu acredito ser uma falta de respeito enorme com um artista que parecia ser tão exigente em relação à qualidade do que lançava no mercado para o seu público. Será que o Renato queria que metade do que foi lançado de forma póstuma fosse realmente colocado no mercado?

Enfim… Enquanto puderem vender um fio de cabelo dele, vão vender não concordo nem um pouco com isso, entretanto acho difícil achar um fã que não vai comprar o referido lançamento. Vamos aguardar para ouvir.

Mudando de assunto…

Queria falar um pouco de uma cantora de MPB que é um pouco diferente do padrão das cantoras que temos por aí. Hoje eu as divido em 2 grupos, aquelas da escola “Ana Carolina” e as da escola “Maria Rita (pós samba meu)”. Correndo por fora, temos a Tiê. Existe o grupo que ama( o/), existe quem acha chato, monótono e etc. Eu adoro. Acho diferente, o som dela é cru, sem muitos recursos nem instrumental nem vocal ela imprimi um lado meio folk no que canta e é altamente relaxante.

O nome do atual trabalho dela é Sweet Jardim, vale muito à pena conferir.

Abaixo um cover que virou faixa bônus do CD:

 

Evento da Semana:

Dia 28/03 às 18:00h tem show no Centro Cultural Vergueiro do cantor Zé Geraldo. É grátis!

Até mais,

Jéssica

Para Leigos – Manipulando os painéis do Ubuntu

Neste post vou começar a coluna “Para leigos”. Vou postar coisas simples, mas que muitas pessoas não sabem fazer. No vídeo abaixo mostro como manipular os painéis no Ubuntu, adicionando ícones, movendo-os etc. Confira!

Veja este vídeo no Videolog ou no Dropex Info.




Para começar: Gorillaz, Yelle e Mariana Aydar

Olá, vamos começar oficialmente a coluna sobre música e para isso escolhi as gratas novidades que tive essa semana. Primeiro a volta do Gorillaz, lembra deles? Banda do bam bam bam do Blur Damon Albarn e por Jamie Hewlett? Pois bem, eles lançaram depois de muito tempo um novo trabalho que tive acesso no final de semana.

Gostei, me causou certo estranhamento no início, não é um álbum pop de fácil percepção, pareceu-me mais refinado, o tipo de álbum que você tem que escutar 2, 3 vezes para dizer, ok é muito bom. Sempre gostei do trabalho desenvolvido nesta “banda virtual”, mas esse CD é diferente de tudo e nem por isso imprime uma qualidade inferior, muito pelo contrário. Aliás o título é genial: “Plastic Beach”.

Minha outra grata surpresa, que é novidade para mim, mas não deve ser para muitos, é a Yelle, uma cantora francesa que conheci via indicação no twitter. Gostei muito do trabalho dela, ouvi pouco, mas não pude deixar de citá-la. Se você curte música pop é uma boa pedida me lembrou the Ting Tings, mas essa lembrança pode ser somente uma impressão relacionada às poucas músicas que escutei. De qualquer forma, gostei.

 

Evento da Semana:

Aqui na coluna eu pretendo sempre colocar uma dica de evento musical que valha a pena ($$) e ocorra final de semana. O evento que indicarei este fim de semana é o Show da Mariana Aydar vai acontecer sexta- feira no SESC Santana às 21:00h. A Mariana é muito boa de palco e ano passado ela lançou um dos melhores CDs de MPB do ano : Peixes, Pássaros e Pessoas. Vale a Pena ouvir e conferir o show!

Bom, por hoje é isso até mais.

Jéssica

Computador, a máquina que mudou o mundo

historia 300x80 Computador, a máquina que mudou o mundo

Em 1833 surgiu o primeiro computador. Charles Babbage faz projeto da máquina analítica, nela era possível fazer todas as operações, mas, o grande detalhe é que essas operações tinham que ser programadas por meio de cartões. Babbage ainda tentou fazer a primeira máquina com que ela imprimisse os resultados dos cálculos, mas por falta de apoio financeiro e político não concluir sua pesquisa. Vamos analisar essa máquina analítica, nela era feita a entrada de dados por meio dos cartões, armazenamento de dados(memória), o processamento com rodas dentadas e a saída de dados também pelos cartões. Que outra máquina é capaz de fazer isso? Os computadores. Charles Babbage morreu em 1871, mas ficou conhecido como o pioneiro da computação, apesar de não ter concluído sua pesquisa.

É impressionante ou não é!?!? Em 1833 surge o primeiro projeto semelhante aos computadores mais atuais. Veja abaixo um vídeo que mostra toda a história dos computadores:

Acesse aqui o Guanacast de História da Computação e saiba mais sobre o projeto do Charles Babbage.

Breve resumo das gerações dos computadores:

1ª Geração : Os computadores dessa época eram gigantescos e consumiam muita eletricidade, continham mais ou menos 17 mil válvulas.

2ª Geração : Foi inventado o transistor, logo as válvulas foram substituídas por eles, por serem bem menores e consumia menos energia

3ªGeração: Surge, os circuitos integrados, que unia transistores, capacitores e outros componentes eletrônicos em um único componente.

4ªGeração: Nessa geração que os computadores começam a chegar nas casas, tinham microprocessadores e ficaram ainda menores.

5ª Geração: Ai entra os supercomputadores, inclusive o da NASA e a robótica

Agora deixando esta parte nostálgica e histórica de lado, vamos ao que interessa. Desde os anos 60 os computadores vem revolucionando o mundo, naquela época era muito usado para fazer cálculos complexos, hoje eles tem diversas utilidades principalmente com os sistemas embarcados. Eles são usados nas mais diversas áreas, veja algumas delas: nós negócios, na medicina e na saúde pública, na educação, na ciência, na arqueologia, na engenharia e arquitetura, na manufatura, na área legal, no cumprimento da lei, no governo, nas forças armadas e no entretenimento.

Os computadores revolucionaram todas estas áreas, mas vale ressaltar, negócios e na educação. Com a chegada dos computadores os negócios ficaram mais práticos, principalmente no comércio, com a implantação do e-commerce as vendas ficam mais acessíveis, posso citar vários exemplos como Submarino, Americanas, Mercado Livre e podemos fazer compras até no exterior, ThinkGeek, Deal extreme, eBay entre outras lojas. A educação se tornou mais dinâmica quando os computadores se popularizaram, os meios de pesquisa aumentaram e consequentemente o aprendizado melhorou.

Em 1981 Bill Gates, supostamente, disse a frase “Ninguém vai precisar mais que 640 Kb de memória em seu computador pessoal”, hoje nós temos computadores com 2GB, 3GB, 4GB e até mais. Eu realmente não sei até que ponto os computadores evoluirão. Hoje computadores são máquinas indispensáveis e quer queira ou não, eles vão fazer parte da sua vida, mesmo que seja indiretamente, na hora de fazer compras no supermercado ou tirar dinheiro no banco. Detalhe: Algumas pessoas acreditam que Bill Gates nunca disse aquela frase, mas se tratando dele neah!??! Vai saber..

Acho que nós devemos agradecer ao homem, por não ficar satisfeito e sempre pensar além e que pode sempre melhorar.

Deixe sua opinião nos comentários, o que você pensa sobre os computadores, o que eles mudaram, conte suas experiências com os computadores. Vamos gerar uma discussão nos comentários galera!!




Apresentação: O avesso da Moda

Bom, estreiar os posts sobre Moda não sendo nenhum fashionista e simplesmente alguém que gosta do “novo” está sendo bastante desafiador. A primeira pedra do caminho é fazer com que as pessoas não torçam o nariz quando imaginam na Moda uma coisa fútil, banal, de gente fresca e rica. Ledo engano!

A Moda vai além disso que você, que lê este post está vestindo agora – ou não – sabe-se lá, né?

A moda é a maneira como nos comportamos, é como nos posicionamos frente determinadas situações. É representação social. Moda é azul para meninos e rosa para meninas. Moda são convenções sociais que não se sabem porquê nem por onde, mas são. A Moda é Dogma.

Neste espaço não vou discutir se o vestido rosa e curto é certo ou errado para ir a Faculdade, se a franja e o lápis preto nos olhos determinam uma “categoria”, um grupo ou uma geração, se o bege é o novo nude ou se os ombros estruturados são o “must have” desta ou daquela estação.

Para mim, o falar de Moda é mostrar como ela é uma das principais engrenagens de desenvolvimento das sociedades. Como ela se representa nos mais diversos âmbitos sociais dos quais nem imaginamos. Como ela influencia no consumo e crescimento tecnológico, cultural e artístico de um povo, e simplesmente não nos damos conta disso.

Enfim, aqui eu pretendo falar de Moda fazendo com que fique explicito que a Moda não é só uma roupa de marca, e sim o reflexo do comportamento dos diversos grupos na sociedade e suas conseqüências.

Como estudante de Ciências Sociais, e profundamente interessado nos assuntos que dizem respeito ao consumo nas sociedades, a possibilidade de falar sobre Moda e tendências, abre para mim um leque de oportunidades de ampliação e divisão de conhecimentos, que eu espero, sinceramente, que todos aproveitem.

Para finalizar, deixo um trecho do autor Gilles Lipovetisky do seu Livro “O Império do Efêmero” para que possamos refletir um pouco a respeito.

“A moda produz inseparavelmente o melhor e o pior, a informação 24 horas por dia e o grau zero do pensamento cabe a nós combater, de onde estamos, os mitos e os a priori, limitar os malefícios da desinformação, instituir as condições de um debate público mais aberto, mais livre, mais objetivo… A Moda é acompanhada de efeitos ambíguos; o que temos de fazer trabalhar para reduzir sua inclinação “obscurantista” e aumentar sua inclinação “esclarecida”, não procurando riscar num traço o strass da sedução, mas utilizando suas potencialidades liberadoras para a maioria. O terminal frívolo não pede nem a defesa incondicional, nem a excomunhão de sua ordem; se o terreno da Moda é favorável ao uso crítico da razão, faz eclodir igualmente o exílio e a confusão do pensamento: muito está por corrigir, legislar, criticar, explicar interminavelmente; a astúcia da desrazão de moda não exclui a inteligência, a livre iniciativa dos homens, a responsabilidade da sociedade sobre seu próprio futuro.”

Até a próxima… Tioguh

Page optimized by WP Minify WordPress Plugin