Archive for outubro, 2009

CRACK DROGA DO SÉCULO XXI.

Atinge o cérebro em questão de segundos, provoca as alterações bioquímicas e os efeitos da cocaína mais rapidamente.

O nome “crack” surgiu do som que é produzido quando a pedra de coca está sendo queimada. A cocaína fumável surgiu na Colômbia, no final da década de 70, quando os usuários começaram a fumar o bazuco, isto é, os restos do refino, que contêm substâncias corrosivas, como ácido sulfúrico e acetona.

Depois, a pasta de cocaína começou ser fumada misturada com maconha, nos EUA e na Amazônia. Mais tarde começou a ser produzidas as pedras de crack, um precipitado de cocaína com bicarbonato aquecido em água.

A droga é introduzida no organismo através da absorção em toda a mucosa respiratória, fumada com tabaco ou cachimbos improvisados com caneta esferográfica, embalagens de produtos alimentícios, isqueiros de plástico, etc.

Ao se fumar uma pedra de crack, a cocaína se volatiliza e entra no organismo sob a forma de vapor , ganhando a circulação sangüínea. Quando a cocaína é introduzida no organismo através da mucosa do nariz, sua absorção se faz por uma superfície de 2 ou 3 centímetros quadrados. Sendo a mucosa do aparelho respiratório muito mais extensa que a mucosa nasal, a absorção é muito rápida e uma grande quantidade de droga atinge o cérebro em questão de segundos, como ocorre no uso por injeção endovenosa, e o usuário fica dependente mais rapidamente.

Além disso, são mais freqüentes as overdoses. A cocaína fumada, o crack, assim como a injetada, é muito mais potente que a cocaína aspirada, atingindo o máximo em 15 segundos, enquanto a aspirada leva cerca de 15 minutos, além de desaparecer mais rápido, deixando uma forte vontade de usar mais, fazendo com que uma pessoa fique até vários dias seguidos usando a droga.

O crack provoca os mesmos danos que a cocaína aspirada, porém, devido ao seu avassalador poder desestruturador da personalidade, age em prazo muito curto e em maior intensidade. Insônia, agitação psicomotora, agressividade, emagrecimento, perda da autocrítica e da moral, dificuldades para estabelecer relações afetivas, psicoses, comportamento excessivamente anti-social, marginalidade e prostituição. Lesões do trato respiratório. Por ser uma droga relativamente de baixo custo, e fácil aquisição ela se propaga de forma assustadora. As adolescentes se prostituem, e os jovens cometem roubos de toda espécie.

Na realidade para acabar com os contrabandistas de drogas esta na CONSTITUIÇÃO necessitamos de uma reforma urgente e introduzir a PENA DE MORTE para traficantes.

Vicente Lugoboni é jornalista [email protected]

POLÍTICAVOZ – Exercício de imaginação sobre improvável aliança para 2010

A discussão sobre a eleição presidencial de 2010 começou nos partidos um dia após a vitória de Lula para o segundo mandato. E se alguém acha que os partidos estão confiantes em suas decisões, e que já formaram suas bases para a batalha diária da campanha, podem esquecer: De lá pra cá tudo foi feito, mas nada resolvido. Aliança de cá, conversa de lá, ministérios e mais mistérios. O certo é que a oposição se separa cada vez mais; e a situação fica cada vez mais desconfiada. Enquanto não há consenso no nome da oposição, nas pesquisas não há crescimento para o nome consentido da situação.

Não é fácil mesmo fazer política. Tudo ficou mais claro quando, numa feliz comparação, utilizando-se de personagens de modo infeliz, Lula avisou como funciona o negócio aqui no Brasil: No inferno não devemos abrir mão de negociar com o Capeta. E parece que isso se faz sistematicamente, durante todos esses anos de democracia; e quem sabe até nos anos da ditadura. O que parece ser um ato glorioso da política, que é a relação humana dos tratos humanos; no Brasil se estabelece, de forma merecida, com vaias da desconfiança. Não sabemos se a negociação entre opostos é para o melhor do Brasil ou para melhorar seus próprios bolsos.

Hoje temos três nomes fortes e duas cabeças iguais: Dilma é o Serra de saia. É claro, estou dizendo isso por uma observação muito pessoal. Dilma, dizem, é tão exigente quanto Serra. Que gosta das coisas bem feitas. Que não tem muito horário para trabalhar: é possível vê-la fazer coisas em horários mais absurdos. Do mesmo modo é o Serra, que costuma ligar para seus assessores em qualquer hora do dia, ou da madrugada; logo que percebe uma luz sobre algum problema. Dos dois, podemos ter certeza, teremos excelentes profissionais naquilo que são exigidos. Mas os dois servem para a presidência?

De um modo geral, tenho certeza que a presidência é o cargo onde se exige maior “capacidade” política. Tirando do currículo qualquer onda administrativa, de conhecimentos técnicos sobre economia, ou mesmo língua estrangeira. É ali que funciona o verdadeiro “gestor”, aquele que coloca os vários Judas e os vários Jesus na mesma mesa; dizendo o que eles devem e o que podem fazer. O exemplo claro disso tudo é o presidente atual, que mesmo com tantas críticas, é conhecido com um ótimo negociador, e que numa metáfora ainda mais escandalosa, faz o milagre da conciliação dos contrários.

Assim, não só os partidos estão confusos, mas os eleitores. E essa confusão acontece porque, para mais da metade dos votos, a comparação do candidato deverá ser feita com o modelo de Lula. Ou seja, quererão; na pior das hipóteses, um candidato parecido com aquele que tem 2/3 de aprovação como governante. Parecido como? Talvez parecido nas medidas populistas. Talvez na maneira “popular” de se expressar. Talvez com a forma de negociar. Tudo isso que temos no Lula, e muitos odeiam, será o parâmetro ideal para muitos que decidirão o próximo presidente. Todos querem o “ser” político Lula.

Desse jeito, os dois candidatos mais visados estão com os dias contados. Dilma está próximo de Lula, mas longe de ser ele. Serra está longe de Lula e muito longe de querer ser ele. Talvez a figura de Aécio seja aquela que mais se aproxima, mas de maneira bem singela, ao que todos esperam de um novo ”Lula”. E talvez por esse motivo, as coisas andam tão confusas na oposição: Aécio seria capaz de desbancar Lula mesmo com uma pontuação menor que de Serra e um nome ainda não muito nacional? Seria o candidato ideal um Aécio no PT com chancela de Lula?

Aécio no PT é minha imaginação, suposição deslavada. Isso é algo irreal para o momento, em virtude de tudo que já fizeram os partidos pensando nas próximas eleições e até mesmo a própria história dos políticos envolvidos. Só não podemos deixar de pensar no absurdo sobre política, onde acontece de qualquer negociação inviável transformar-se em situações surpreendentes.

A INCLUSÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS.

Incluir significa: fazer parte, inserir, introduzir. Assim é a inclusão das pessoas com deficiências significa torná-las participantes da vida econômica, política, assegurando o respeito aos seus direitos no âmbito da sociedade, do Estado e do poder público.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1948 direitos valem para todos. No âmbito das pessoas deficientes a inclusão precisa ser feita de forma gradativa e planejada dentro das necessidades de cada um, não basta retirar do convívio com outras pessoas com as mesmas deficiências e colocá-los com os considerados normais, isso não é inclusão e sim exclusão.

O modelo perfeito de inclusão é aquela que todos têm direitos, deveres são assegurados não pela suas deficiências, mas pela questão de ser humano. Na verdade, o questionamento de como deve ser incluídas as pessoas deficientes não é dever do Estado, mas sim deve ser discutidas entre as entidades que os representam e as próprias pessoas, são elas que sabem da realidade cotidiana. Por mais preparados que os educadores das escolas normais esteja nunca irão atingir a todos.

Acreditamos que a inclusão das pessoas deficientes só deve ser realizada quando todas as crianças consideradas normais passar por um ensinamento qual o significado correto do que é inclusão. Da maneira em que o Estado esta propondo vem na contra mão do que é inclusão. Infelizmente no contexto geral o mundo não esta preparado para uma inclusão digna.

Vicente Lugoboni é jornalista e deficiente físico [email protected]

DESCONECTADO: Na Fossa Negra

TONI PLATÃO - NEGRO AMORNem que eu caminhasse as três da manhã!. Assim começa a primeira música do álbum NEGRO AMOR, de Toni Platão, lançado em 2006. Disco repleto de releituras da música popular brasileira e internacional. A primeira música, MARES DE ESPANHA, gravada por Ângela Rorô em 1979. Alguns podem torcer o nariz para as músicas do álbum, só não podemos dizer que ele é de mau gosto. Para quem gosta de música, vale a pena conhecer. Toni Plantão, da lendária banda Hojerizah, mostrou neste trabalho que pode ser considerado um dos melhores intérpretes nacionais.

Depois de dois lançamentos interessantes, Toni Platão mudou completamente o clima do seu repertório. Ângela Rorô é uma das melhores músicas. “Seu filho feio e louco ficou só”, de NEGRO AMOR é a segunda música. “Os alquimistas já estão no corredor”. Em resumo, são as duas melhores coisas do CD. A mistura sentimental continua com EU NÃO VOU DEIXAR VOCÊ TÃO SÓ,  de Antonio Carlos; conhecida na voz de Roberto Carlos. Uma canção das mais melódicas e que na voz de Platão transformou-se naqueles blues sofridos e embriagados. Tudo indo bem com a língua nacional, quando Toni flerta com outro idioma, (confesso que estava meio alterado nesse momento devido a quantidade descontrolada de uísque sem gelo). “Amore, amore, amore, amore mio” de SINNÒ ME MORO.

A sonoridade apaixonante e sofrida continua com MOVIMENTO DOS BARCOS, de Jards Macalé. Nota-se o aparecimento com mais ênfase do piano. EM SEGREDO, letra de Thiago Gondim, música que ganha uma roupagem um pouco mais eletrônica, mesmo assim não perdendo o estilo do álbum. IMPOSSÍVEL ACREDITAR QUE PERDI VOCÊ, de Márcio Greyck, gravada também por Fábio Júnior. Outra romântica dor de cotovelo, talvez a canção que mais se aproxime ao que se define como “música popular bem popular brasileira”. Mesmo sendo um estilo de música que não me agrada, não posso definir que ela não se encaixe perfeitamente ao trabalho que Toni decidiu fazer.

MAMMY BLUE, como o próprio nome diz, parece um blues, mas não pense no convencional: um blues em inglês com sotaque francês que traz alguns instrumentos do sertão brasileiro. Gravado por Julio Iglesias, entre outros. A FALTA, versão de “Without You”, de Pete Ham e Tom Evans, gravado entre outros por Mariah Carey; mais uma música dor de cotovelo. “Lenço azul a apertar em branco o seu pensar, toda uma vida embaça o seu olhar e andando vê passando”. DIA 36. Uma belíssima música gravada pelos OS MUTANTES. E por último a faixa bônus: uma versão de LOIRA GELADA cantada num clima de luau em Ubatuba, no meio da praia às 3 da amanhã (quem já participou de uma coisa assim sabe o que estou querendo dizer). Uma observação para essa música: ela acaba com “Hit the Road Jack”.

Enfim, um cd que vale a pena conhecer, que pode tocar uma ou mais vezes; mas que não serve para animar festa, nem para pessoas que estão olhando para o futuro otimista: Toni canta para os desesperados, aflitos e decepcionados com qualquer paixão. Toni escolheu um belo repertório, mas que não funciona em todos os momentos da nossa vida: escolha o momento certo para escutá-lo e se for o caso, curtindo uma bela paixão indo embora (mesmo que de mentirinha).

Procure: Mares de Espanha, Negro amor, Em segredo, Dia 36 e Loira gelada.

NEGRO AMOR, Toni Platão, 2006.

Nota: 3/5

Aprendendo a viver sem as mãos

Flávio Lúcio Peralta é o novo colunista do Informação Virtual.

DEPOIMENTO DE FLÁVIO LÚCIO PERALTA

No dia 21 de agosto de 1997 seria o dia em que mudaria toda a minha vida.

Flávio Lúcio PeraltaTrabalhava em uma empresa que fazia troca de transformador de alta tensão. Logo após o almoço saímos para fazer uma troca em uma chácara. Chegando ao local preparamos todas as ferramentas para executar o serviço. Logo em que subi a escada seria o momento em que levaria um choque de 13.800 volts,ficando pendurando ao poste e preso ao cinto, o que evitou que caísse lá de cima. Graças à equipe de resgate, que chegou logo ao local, eu fui retirado de cima.

Aí começaria toda uma longa historia em minha vida. Chegando ao hospital com os braços queimados e parte do pé esquerda machucado, fui parar direto na UTI, mas a preocupação não seria essa no momento, mas sim com a parte interna do meu corpo. Meu rim não estava funcionando e se ele não funcionasse eu estaria morto hoje. Fazia três dias que estava urinando sangue, mas graças a Deus ele começou a funcionar. Após passar isso, a nova preocupação seria em tentar recuperar os meus braços que estavam queimados, devido ao choque. Mas, infelizmente não teria, mas jeito e a única possibilidade seria a amputação dos braços. Eu estava inconsciente e não sabia o que estava acontecendo. A autorização para fazer a amputação ficou para os meus pais. O que não deve ter sido muito fácil para eles.

Após fazerem a amputação houve uma infecção nos braços e tive que voltar para a sala de cirurgia para amputar mais uma parte dos braços.

Depois começou a parte dos curativos. Quando a enfermeira chegava no quarto dava vontade de sair correndo. Com os braços abertos para fazer a limpeza senti uma dor insuportável. Então colocavam gazes na minha boca para poder gritar de dor e para que as outras pessoas não se assustassem com os meus gritos.

Passou a fase de curativos. Agora seria o momento de fazer uma plástica no que restou. O médico tirou a pele da minha perna para fazer o enxerto nos braços. Para essa cirurgia foi necessário ficar no hospital uns 40 dias.

Após a recuperação viria o momento de deixar os braços preparados para colocação das próteses. Mas, meu braço esquerdo, o qual sobrou o cotovelo, teria que aumentar mais ou menos 6 cm, através da colocação de um aparelho, chamado Ilizarove.

Nesta cirurgia, coloca-se um aparelho com um monte de ferro dentro do osso. Nesse momento as dores foram insuportáveis. Mas, deu tudo certo. Quando fui tirar este aparelho tive um choque anafilático, causado pela anestesia. E lá fui eu parar na UTI de novo. Ocorreu tudo bem e fui embora no outro dia.

Agora teria que fazer um enxerto na pele que estava fina se não suportaria a prótese.

Vamos lá de novo para cirurgia. O médico tentou tirar a pele da barriga, mas houve rejeição. Tive então, que colar o braço na barriga por 30 dias. Aí, deu certo. A pele da barriga foi parar na ponta do braço. Essa cirurgia existe a mais de 50 anos. Depois de tudo isto já tinha feito mais de 11 cirurgias. e estava pronto para fazer colocação das próteses.
Hoje vivo muito bem sem os meus braços e a cada dia agradeço a Deus por ter me dado minha vida de volta.
Independente de ser um deficiente físico, amputado, hoje percebo que qualquer pessoa está sujeita a muitos preconceitos. Esses sempre vão existir.

Depois de ter passado por uma experiência como essa, dou valor muito mais na vida.

Consegui colocar minhas próteses e me adaptei muito bem.

Estou casado após o acidente e sou pai de um menino. E lutei muito para idealizar o site
http://www.amputadosvencedores.com.br.

Hoje estou fazendo palestras na área de segurança do trabalho e sipat.

AGRADEÇO AOS MEUS PAIS, MEUS FAMILIARES E AMIGOS PELO APOIO E PELA FORÇA QUE ME DERAM.

TAMBÉM AGRADEÇO ÀS PESSOAS QUE ME FIZERAM DESCOBRIR O QUE ERA O AMOR: A MINHA ESPOSA JANE E AO MEU FILHO VINICIUS.

DESCONECTADO – Jam menos Pearl

Pearl Jam - BackspacerOs fãs da banda americana Pearl Jam estavam eufóricos. Depois de rumores que a banda iria encerrar a carreira, a notícia de mais um álbum de músicas inéditas foi como um grito de alívio. Vou confessar que fiquei ansioso também para saber o que eles tinham preparado. Afinal, considero a banda umas das melhores do rock mundial de todos os tempos. O resultado foi o álbum Backspacer, lançando setembro, com produção de Brendan O´Brien.     

O álbum é cheio de maturidade, tanto nas músicas como nas letras. Isso pode ser considerado um elogio, pois mostra músicas interessantes e bem elaboradas. No entanto, o elogio para por ai. É claro que não dá para pensar que o álbum seja ruim, longe disso. Comparando com tudo que anda sendo apresentado no mundo da música, esse álbum servirá para limpar os ouvidos de tanta coisa que incomoda. No entanto, não dá para dizer que é um disco esplendoroso, como por exemplo, Riot Act. Essa maturação do grupo também é responsável por essa produção cheia de conservadorismos. Em resumo: é um álbum “legal”, mas muito “trivial”.

Talvez toda decepção tenha uma relação muito próxima ao nível de expectativa: esperava do grupo aquela vanguarda apresentada nos primeiros álbuns; e mais ainda, a marca de toda uma geração nascida na região de Seattle. No entanto, o que ouvi foram músicas comuns e sem nenhum viés de inovação. Aquela maturidade que eu disse anteriormente ajudou e atrapalhou ao mesmo tempo. Para fãs isso pouco interessa, afinal a verdade é que a banda está inteira novamente e fazendo um trabalho muito bom; mas com certeza nenhum deles irá colocá-lo numa relação entre os cinco álbuns melhores da banda.

Vale a pena para colecionadores. Vale para quem gosta de boa música. Mas aquele que está começando a conhecer a banda, sugiro começar pelos álbuns mais antigos. Resumindo: escutar esse álbum deve ser considerado uma exigência para os fãs; mas para quem apenas simpatiza com a banda, não ouvi-lo não será motivo de grande sacrilégio.

Procure: Got some, Just Breathe, Amongst The Waves, Unthought Known e Force of nature.

 

Nota: 4/5

 

Blog da Semana #60

Ajuste o FocoEsta semana o blog escolhido é o Ajuste o Foco, da Ellen D. B.

O blog é um achado para quem deseja aprender técnicas de fotografia e, com isso, melhorar a qualidade dos seus cliques, mesmo com o uso de câmeras amadoras.

No blog, o aspirante a fotógrafo vai encontrar muito conteúdo sobre fotografia amadora, como, dicas e edição, tutoriais, concursos, técnicas, eventos, ou seja, agora você não tem mais desculpa para tirar fotos desfocadas, tremidas, ou deixar sua sogra sem cabeça.

Se você é assim como eu, um aficionado por fotografia que gosta de tirar boas fotos mesmo com uma câmera amadora, tem que conhecer o Ajuste o Foco. Vale o clique!

DESCONECTADO: Apresentação

Esse é meu texto inaugural. Sinto-me feliz, num estado de profundo contentamento. Não é brincadeira, não. Sabe o que é ter um blog, onde apenas parentes e amigos costumam freqüentar anualmente? Com os amigos eu consigo maior fidelidade, mas não sei até quando. Portanto, a oportunidade de escrever em um endereço diferente, pode ser mesmo um sinal de prosperidade. Assim, estou aqui, com brindes e fogos de artifício, numa festa isolada e interna.

Tudo começou quando o “dono” desse lugar me sugeriu uma coluna, onde eu pudesse dizer tudo o que eu queria principalmente assuntos relacionados à música, cinema, esporte e afins. O primeiro susto foi que o site, em sua maioria, trata de assuntos relacionados a tecnologia da informação (joguem pedra se eu estiver falando bobagem), portanto um mundo um pouco diferente do que eu estou acostumado. Pensei o seguinte: vai ver que é por isso que ele me chamou, vou ser o estranho no ninho.

Sou um desconectado. Não tão radical como alguns que quebram celulares em praça pública e que não usam forno de microondas com medo de radiação. Mesmo assim, pelo que anda acontecendo no mundo, estou muito próximo aos primatas que acabaram de descer das árvores (mas que já não andam descalços); do que do homem cybernético. Gosto dos meus discos, aquelas coisas “pretas” de PVC, que chamo vinil ou bolachão. Então, nos meus comentários, notarão a presença da palavra álbum quando estou querendo dizer CD. Celular eu uso apenas para emergências, ou seja, ele fica desligado quase sempre. Mesmo assim, não fujo da tecnologia; mas com certeza tenho o meu próprio tempo em defini-la como prioridade.

Então, resolvi aceitar o convite.

Quando eu escrevo para o Patativa da Bola, sei exatamente quem vai ler a opinião; texto sobre futebol tem uma linguagem própria, que somente quem gosta de futebol entende. Quando escrevo para o Folhetim Hoje é Vinte, a linguagem é outra, afinal disse que somente parentes e amigos me acompanham. O que eu posso fazer aqui? Num lugar onde há possibilidade de ser freqüentado por todos esses loucos por T.I.? Vou me tornar indigesto? O cara chato da turma? Vou ser ignorado nos próximos textos, e terei apenas a companhia feliz dos amigos (nessa altura do campeonato os parentes já me abandonaram).

Assim, para evitar polêmica vou ser exatamente o que sou: escrevo por diversão, escrevo para opinar e nunca para discutir (geralmente as melhores discussões são em mesa de bar com cerveja gelada). Escrevo para dizer: Gente! É isso que eu penso, vocês não precisam ficar tristes e raivosos com o que eu disser, faça como meus parentes, me abandonem!!

Mas se gostarem, torço que seja tão divertido para vocês também.

Blog Action Day – Mudança climática exige mudança de comportamento urgente

O que parecia fazer parte de um futuro distante, finalmente chegou. O planeta está passando por mudanças radicais no clima, e isto já está afetando drasticamente todos os seres vivos, inclusive nós, seres humanos.

Nosso tempo está se esgotando rapidamente e se não mudarmos nosso comportamento agora, estaremos colocando em risco a vida na Terra.

A mudança climática já está causando muitas mortes, sofrimento e prejuízos incalculáveis.

Os efeitos diretos já podem ser sentidos através de tempestades violentas, enchentes, secas prolongadas, ondas intensas de calor e frio. Já os efeitos indiretos poderão ser sentidos com o surgimento de novas epidemias, crises econômicas, aumento da violência, disputas por água e alimento.

Se nada for feito agora as coisas só irão piorar nos próximos anos e, neste cenário, podemos prever a extinção de diversas espécies animais e vegetais e, num cenário menos otimista, a nossa própria extinção.

Assustador, não?! Mas ainda existe uma esperança!

O que podemos fazer para salvar nosso planeta?

Bom, já que não temos super-poderes, podemos unir nossas forças em torno desta causa e, quem sabe, minimizar o problema, ou até mesmo, revertê-lo.

Você não precisa se tornar um “eco-chato” ou deixar de fazer as coisas que gosta para ajudar a salvar o planeta, basta tomar algumas atitudes simples.

Vou citar 10 coisas que considero importantes e que podem fazer uma grande diferença no futuro do nosso planeta.

  1. Economize, evite o desperdício, recicle o que puder;
  2. Escolha produtos de empresas que respeitam o meio ambiente;
  3. Mantenha seu veículo sempre regulado. Além de se tornar menos poluente ele também será mais econômico;
  4. Se possível, ande mais à pé ou de bicicleta;
  5. Plante árvores;
  6. Evite ao máximo o uso de sacolas plásticas;
  7. Nas próximas eleições vote em candidatos que estejam realmente comprometidos com o meio ambiente;
  8. Denuncie crimes ambientais;
  9. Diminua o consumo de carne vermelha e de produtos que prejudiquem o meio ambiente;
  10. Colabore com ONGs que trabalham em defesa do meio ambiente.

Se você tiver mais alguma dica basta deixar seu comentário neste post.

Divulgue estas atitudes para as pessoas que você conhece e peça para que elas façam o mesmo, criando assim uma corrente positiva. Juntos podemos mudar o rumo da história e fazer da Terra um planeta melhor para se viver.

Confira outros blogs que estão participando do Blog Action Day 2009 com excelentes textos:

Café com Notícias:

http://cafecomnoticias.blogspot.com/2009/10/blog-action-day-2009-previsao-do-tempo.html

Vivo Verde:

http://vivoverde.com.br/?p=1237

Renovação Criativa:

http://www.renovacaocriativa.com/site/index.php?/Novidades/como-ser-sustentavel.html

Nerds Somos Nozes:

http://www.nerdssomosnozes.com/2009/10/blog-action-day-toma-deste-lixo-que-ele.html

Quem quiser divulgar o link do seu post sobre o #BAD09 entre em contato até domingo, 18 de Outubro de 2009.

10 Coisas que você não deve fazer em um banheira

Os vídeos da série “10 coisas que você não deve fazer…” estão se popularizando na internet e são realmente muito engraçados. Confira o que este sujeito apronta em uma banheira num clube:

Para ver mais vídeos da série acesse: http://www.youtube.com/results?search_query=10+Dinge&search_type=&aq=f

Page optimized by WP Minify WordPress Plugin